"ALMA NA ARTE DA POESIA"

TEMA: SOLITÁRIOS PASSOS

Edição: Maria Thereza Neves
Arte e Formatação:Ana Ridzi

*****

Apresentação

Solitárias pegadas na areia do poeta...
sentindo os grãos de areia moldando seus pés...
e os passos são leves, tão sós ...
nesta caminhada pensativa,
a cada movimento...
a cada paisagem...
a cada gota que triste cai...
a cada voo entre mil cores...
a cada escolha, novo atalho...
redescobrindo destinos
tantos Eus dentro em gritos...
mesmo solitário, bem acompanhado
ouvindo ecos de si mesmo,
e neste silencio ,
a alma fala de profundezas e cala
deixando a palavra livre,
a eterna Poesia ...

Novembro de 2010
Maria Thereza Neves

****
Poetas presentes:

CibeleCarvalho/AnnaPaes/HumbertoRodriguesNeto/LuliCoutinho/TekaNascimento/JoséErnestoFerraresso
MariaTomasia/CeresMarylise/Naidaterra/EdaCarneirodaRocha/MarilenaTrujillo/NídiaVargasPotsch/
KatarinaMadeira/CandySaad/RozeAlves/WilsondeOliveiraCarvalho/SoniaPallone/GuidaLinhares/Madalena
Gomes/ÓguiLourençoMauri/ZenaMaciel/CelinaMiranda/Edmen/NaraPamplona/AuberFioravanteJúnior/
MariaTherezaNeves...

Poetas convidados por Luli Coutinho
do Mural dos Escritores:

Eron Freitas/Shimada Coelho/Clara Roque Esteves/Rogério Miranda.

 

Solitários passos
Cibele Carvalho

Solitários passos à procura de abraços
que preencham a vida e tragam compassos
de músicas divinas, em cromoterapia.
Solitários passos com a esperança amiga
como companheira, ao longo desta lida.
Solitários passos em meio à multidão
que a nós envolve, como um turbilhão,
mas, que não resolve tanta solidão
porque ela mora em nosso coração.
Solitários passos, por onde nós vamos,
cada vez mais, apressados,
sem notar as flores que brotam aos lados.
Mantemos a vista reta, perseguindo nossa meta,
procurando seguir avante a um ideal distante.
Tropeçamos e caímos mas, mesmo assim,
prosseguimos, sempre, em direção à luz.
Solitários mas não sós, pois levamos junto a nós
a presença do amigo, do conforto e do abrigo
que nos guia e nos conduz
- a presença sempre terna
de nosso amado Jesus.

RJ,31/10/10

***

Insone
Anna Paes

As ruínas de meu ser
Despencam sobre a altivez da terra fértil
Aos brados do grito interior

Explode e ecoa sobre os rios
O céu canta enquanto a água
Corre mansa

Remanso sagrado meu
Coração solitário segue
Passos largos - horizonte

Próximo ao sol uma miragem
de quem não veio
Se veio não me encontrou

E eu esperei!

Desnuda-me a alma
Este pensamento insone
invencível!!
Anna Paes
Bsb - 31/10/2010*

****

SOLITÁRIOS PASSOS!
Humberto Rodrigues Neto

Partes e deixas-me pelo caminho
que ora me cumpre palmilhar sozinho,
sem leve queixa na mudez da voz!
Da solidão, na tortuosa estrada,
eu seguirei de alma espezinhada
essa tristonha procissão do nada
dos que ficaram para sempre sós!

****

Solitários Passos
Luli Coutinho

...então eu sigo solitária às riscas
Na espreita do teu calado corpo
No escuro das noites ariscas atrás de ti
A procura da luz nas sombras cálidas

Como um vigia incrédulo e cego
Vago a esmo a infinita e curiosa busca
N'um ilusório espaço do labirinto inimigo
Invencível e de insulada solidão

No coração abarcam desordenados sons
Cingindo minh'alma e então, acaricio o corpo
Carente de ti e em solitários passos absorve
Um aceite a esta infinita desilusão

Como um doce orgasmo que quero eternizar
Vou cantar, dançar e iludir este amor ausente
Sendo um relicário que irei segredar na mente
Assim, é assim, que poderei enfim te guardar!

01/11/10
São Paulo - SP

****

Caminhando com a solidão
Teka Nascimento

Em passos lentos sigo na minha viagem.
Olho para trás observando o longo caminho
percorrido...
Hoje sem pressa sigo em frente nesta estrada.
Nesse percurso da vida, tive uma
doce companheira que sempre me deu apoio e carinho.
Seu nome? Solidão!
Sim é ela que convive e vive dentro de mim.
Com ela comecei a minha viagem e com ela chegarei
a última estação.
Gosto da sua companhia, pois é ela que faz
meus sentimentos aflorarem.
Meu caminhar não foi solitário, pois tenho essa
amiga querida ao meu lado.
Solidão não é sinônimo de tristeza...
Solidão é a sensação que ainda estou viva.

L.Pta. 02/11/2010

****

Uma Voz
José Ernesto Ferraresso

Nessa vida tudo nos abala,
Pensamos, refletimos e a voz se cala,
Temos medo, angústias e procuramos amor,
Que às vezes transforma em desamor.

Vida cheia de incertezas e solidão,
Que tornam nossas atitudes desunião.
Não conseguimos defender nem atender,
Isto é ruim e nos faz sofrer.

Travamos lutas incessantes,
Nossas vidas seguem adiante,
Trazemos no peito sofrimento e dor
Não conseguimos nela defender o amor.

Insatisfeitos, ficamos solitários com mágoa,
A Vida é vaga e inexistimos,
O indefinido não é contraditório,
Os momentos, o tempo, segundos e os dias são notórios.

A incerteza em nós desatina
Transforma e nos consome essa sina,
Na vida sabemos que tudo passa
E não há nada de bom que se faça.

A realidade existe,
A verdade inexiste.
Pensamos com a razão,
Não damos oportunidade à emoção.

Serra Negra
03/11/10

****

SOLITÁRIOS PASSOS
Maria Tomasia

Solitários passos de uma vida
Que caminhou por entre flores,
Pisou nos espinhos e nos amores
E fez na alma, uma eterna ferida.

Passou por entre a multidão
Sem ver ninguém ao seu redor.
Somente a si dando valor,
Voltada para a sua solidão.

Os meus solitários passos
Já indicam o cansaço
De uma vida em destroços
Que só precisa de um regaço.

E, com meus solitários passos,
Silente, penso na vida.
Sinto que, só com um abraço,
A solidão será vencida.

****

MEU RIO
Ceres Marylise

Nas águas tranquilas do meu rio,
eu levantava velas, navegava,
e adormecia a contar estrelas
na ilha onde sempre acampava.

Das suas cristalinas correntezas
fluíam melodias que embalavam
meus pequenos sonhos de bravura:
ali estava meu país de equidade.

Nas peregrinações de minha mente,
somente seres bons as habitavam,
inofensivos ao mundo como eu,
uma criança sempre deslumbrada!

Vários foram meus anos de ausência,
e hoje encontro o meu rio diferente,
abandonado, estreito, maltratado...
também envelheci, naturalmente.

Aqui estou a contemplar nosso cansaço,
nosso ocaso refletido em suas águas,
onde o tempo já mostra suas cinzas
na solitária noite dos meus passos.

****

SOLIDÃO
Naidaterra

Sinto frio, abandono e uma dor
que não se explica, não passa...
Noites de insônia e o vento
a rondar como um fantasma
triste cantando seus lamentos...
O pêndulo do relógio me atormenta
mostrando que a madrugada
ainda demora a findar...
Ouço passos e os reconheço,
mas nunca chegam...
Aguardo o sol que chega soturno,
sombrio e se vai taciturno, não me diz
nada e não me aquece mais...
E a noite novamente cai, surge o luar,
as estrelas brilham no céu...lindas...
Desesperadamente tento abraçá-las,
quero ver um sinal, algo que me
faça sentir que estou viva...
Mas logo chega o vento soprando
a mesma canção...solidão...

****

Passos Solitários
Candy Saad

Na sombra rósea da tarde
ando passos errantes
em busca incessante por ti...
Com os olhos cansados
como o véu da noite que
abandona o dia ...
Caminho solitária !
Sei que nosso sonho
Não foi malogrado...
A dor não mais me aflige
Transformei-a em poema
enquanto espero por ti.

****

Passos Solitários
Eda Carneiro da Rocha

Muitos andei a tua vã procura.
Aprendi a não ver na solidão,
somente loucura!

Tenho-a por minha companhia.
Finalmente, chegou-se a mim
pedindo-me vida a dois.

Pensei e repensei.
O estar só acompanhado
muitas vezes, senti!

Nesta demência total
eu a peguei pra mim!
Fiz dela alguém a quem amaria
sem ter tanta calmaria!

Abri meus braços e disse-lhe:
" Vem"!
Serás tudo o que sonhei,
na dispersão do meu ser
que ainda não encontrou seu viver!

****

Solitários Passos
Marilena Trujillo

Caminhante da vida, sigo meu rumo.
Sonhando... entre sorrisos e lágrimas...
Buscando da vida... o exato prumo...
Afinal, é o mister de todas as almas.

Comungo o verbo do silêncio profundo.
Permitindo-me respirar com calma...
Buscando entender o desamor do mundo,
Enfrentando a tortuosa e íngreme estrada.

Fiz da solidão... minha fiel companheira...
Com ela ouço a voz da razão, da sensatez,.
Faço dela minha melhor amiga e conselheira.
Recupero meu equilíbrio e minha lucidez...

Somos todos solitários caminhantes...
Até mesmo acompanhados de tanta gente.
Com idas e vindas, quase sempre errantes,
Levando uma saudade que se fez presente.

Restam muitas avenidas de solitários passos,
Repletos de tristezas e belas recordações...
De amores grandiosos e de muitos fracassos,
Vou caminhando... rememorando emoções...

Passageira da vida... dos descompassos,
Seguirei... em meus solitários passos...

Mary Trujillo

****

Solitários Passos...
Nídia Vargas Potsch


Sigo entre espinhos e rosas
nestas andanças desequilibradas,
onde tenho rosas a me acariciarem,
ou espinhos que ferem em agulhadas...

Ando a esmo com solitários passos,
sem saber bem o quê ou quem buscar.
É o intruso ardor que trago no peito,
capaz de queimar e me deixar extrapolar...

Nas voltas desta vida, paixão e alarido
caminham juntos num queixume de dar dó.
E o versejar do poeta, em sonhos perdido,
Cantam sem opção, simplesmente, um Amor só...


@Mensageir@

****

Sonhos extraviados
Katarina Madeira

Sózinha sofro no tempo
Na imensidão perdida
Contemplando o horizonte
Numa procura incansável
De respostas que não chegam


Neste silêncio constante
Na escuridão repentina
Procuro-te, sem te ver
Chamo por ti, sem me ouvires

Sonhos extraviados,
no tempo que passa...
Mistérios escondidos,
na vida embrenhados...

Hoje sou sombra que levita
Numa história já perdida,
Prisioneira da ilusão
Que rasgou meu coração

****

Solitários Passos
Roze Alves

Segui-te durante toda aquela jornada
Traçada por ti em teus loucos sonhos
Querias ter um mundo a teu modo
Eras excessivamente sonhador
Águas revoltas afogavam nosso amor
O coração sangrava, queria o tu que desejei
Não enxergavas que me perdias, ah quimeras...
Vias a lua cor de rosa, quando prateado era o luar
Deixei-te para que seguisses teus rumos
Lunático, eu era pé no chão, pagava as contas
Ainda não arranjastes companheira de viagem
Continuas na estrada apenas com teus e só teus
Tristes e solitários passos

Amanhecer-M
RJ: 18/11/2010

****

SOLIDÃO
Wilson de Oliveira Carvalho

Foi na solidão que
me encontrei,
rodeado por uma multidão
de pensamentos .

Foi nas muitas noites
intermináveis,
que dialoguei contigo,
para saber a razão
deste castigo.

Em momento algum,
conheci qualquer resposta,
o meu dialogar implacável
subia aos céus e,
sempre voltava vazio.

Gostaria tanto de
conhecer a causa
desse despojo,
que se destaca entre
os meus troféus.

Gostaria também de saber
o porque do conteúdo dessa taça
não ter sido entregue em um dia de sol,
mas em uma noite sem lua,
na cruel penumbra da solidão...

****

INEXATIDÃO
Sonia Pallone

"...Que lógica é essa que me cobra a razão
deixando de lado uma emoção cheia de angústia?...
Que tempo sem volta e que saudade morta
me anseia as noites solitárias?...
Que palavras mal rimadas de versos trôpegos
e sem verdade!!!..

Ah!... a insatisfação algoz do ser sem sentir,
do estar sem ver e do ir sem voltar...
Que rebusqueio de sensações inexatas e subestimadas!

Não vejo onde o olhar alcança,
nem escuto a voz que me grita,
não me importa a obsessão pela coerência...

Tudo se mistura num caos transparente
e mesmo assim não consigo definir os sentidos...
Vivo todos os lados que me sobram
e me descubro sempre com medo,
do que posso alcançar e de onde posso emergir..."

****

SOLITÁRIOS PASSOS
Guida Linhares

Já fui alguém cercada de amores,
onde o silêncio desabrochava na madrugada,
quebrado apenas pelos gemidos e ardores
da mágica hora da paixão encantada.

O tempo veloz em sua debandada,
foi marcando no relógio do cotidiano expresso,
o mormaço que atingiu em cheio a relação fadada
a entrar no vórtice agonizante do insucesso.

Como paralelas infinitas da solidão a dois,
desdobraram-se os destinos em bifurcação,
e cada um partiu na busca da sua essência perdida.

Contudo o agora que irá se desdobrando no depois,
revela tão somente solitários passos, carentes de emoção.
Ainda procuro onde foi que deixei pedaços da minha vida.

Santos/SP/Brasil
20/11/10


****

SEM VOCÊ
Madalena Gomes

Minha estrada em reformas
Caminho sem caminhos
Tumultuadas montanhas
Poças de lama, areia e pedra
Amontoados...

Eu, você e esse amor
Perdido entre as tralhas
Dos descaminhos
De minhas estradas
Em reconstrução!

Eu, seu silêncio
Meu grito de dor
Nosso desencontro
Numa esquina qualquer
Sem sinal...

Fique nesse seu caminho
Sem meu encontro
Suas desculpas,seus entulhos
Que não te levarão a lugar nenhum

Fico com meu amor absurdo
Que me levará à distância de ti
Ao meu encontro louco
Pelos meus descaminhos
Por meus túneis obscuros!

Fico assim... Sem você!

Campina Grande, PB

****
SOLITÁRIOS PASSOS
Ógui Lourenço Mauri

Para mim, és agasalho das Alturas,
Que me chegou à metade do caminho.
Contigo, sei que não estarei sozinho,
Face à cumplicidade nas horas duras.

Com teus olhos, reergueste minha autoestima,
A mando dEle, na raia tu entraste.
De minha vida, foste tu o guindaste
Que, por Deus, fez eu dar a volta por cima.

Estar só, hoje não passa de lembrança.
Meus solitários passos foram de vez.
No mar bravio, em que o tempo se refez.
Depois da tempestade, veio a bonança.

Foste o bálsamo para minha ferida,
Que surgira de meus passos solitários.
Tu trouxeste os ingredientes necessários
Ao nosso amor, em retomada de vida.

Sinto mais um anjo do que uma mulher,
Em teu aconchego, que igual nunca vi.
Dos solitários passos antes de ti,
Não tenho saudade, um tiquinho sequer...

Catanduva (SP), 20/10/2010.

****

Olhos de Solidão
Zena Maciel

No prelúdio da noite,
a trôpega alma silencia,
beija a amarga boca da agonia.

O estéril tempo se vai,
leva consigo a pesada
bagagem de arenosos sonhos.

Esvazio o cântaro da ilusão
Choro a dor .... com olhos
molhados, de lágrimas de solidão.

O pobre coração fossilizado,
grita forte e desesperado,
o triste estupro do amor !

Recife-Pe

****

SOLITÁRIOS PASSOS!
Celina Miranda.


Tenho feito tudo!
Para abrandar meus solitários passos
Impossível acalmar meu coração
É muita solidão
Para um só coração suportar
Você partiu
Deixou a solidão no seu lugar...

Igual a você não há ninguém!
Não posso inventar um grande amor
Nem uma louca paixão
Para enganar meu coração...

Foi muito amor!
Para um coração suportar
Uma louca paixão para se calar
O que eu vou fazer?
Para meu coração esquecer
Se ele só amou você...

Como posso esquecer o nosso amor!
Possa ser que eu seja louca
Porque só os loucos
Apegam-se a um grande amor...

Vivemos maravilhosos!
Momentos de paixões
Sempre com amor no coração
Como eu amei você...

Tudo isso é um estagio do amor!
Meu coração
Não consegue esquecer você
O que é que eu vou fazer
Preciso enganar meu coração
Para esquecer você...

21/11/10.SC.

****

SOLITÁRIOS PASSOS
Edmen

Que minha solidão (se em algum momento houver)
não seja acompanhada da tristeza, nem deslizante
nas encostas da maldade, mas que minha saudade
seja minha companheira nas recordações...

Que os corações que um dia se uniram ao meu,
não sejam destino de esquecimento, mas que
meus pensamentos sempre os encontrem nos
caminhos da alegria...

Que o medo (se algum dia eu o conhecer) não
venha acompanhado do padecer da solidão,
mas que o amor seja-me
ofertado pelas mãos alvas da paz,
no caminho das sadias emoções.

****
TEUS OLHOS
(Eron Freitas)

Teus olhos me encantam, me fascinam,
me hipnotizam se olho muito para eles!
E, quando muito olho, não me recriminam,
escondendo os mistérios que há neles!

Dois faróis que podem me levar ao ninho,
o reino belo e soberano de teu imo !
Quanto quisera deles sempre estar pertinho,
para provar com beijos quanto eu os estimo!

Ontem... quando eu poderia tanto vê-los,
sem a malícia das severas convenções sociais,
não me dei conta de que breve ia perdê-los...

Ontem... meu coração não tinha companhia,
e o receio de tua recusa era demais!
Por isso, solitário, há de morrer... um dia!

Novembro/2010
Garanhuns - PE

*****
Caminho Só
Shimada Coelho

Vaguei...
Por terras distantes,
Caminhei...
Mergulhei em abismos profundos,
Escuros...
Conheci outros mundos,
Presentes passados tão futuros...

Incansável caminhada...
De uma busca?
Não sei...
Encontrei tanto e nada achei...
Talvez, perdi a memória...
Talvez, em busca de glória...

Parei...
Olhei atrás as linhas curvas,
E eram rio, mas eram rastros...
Eram todos os meus passos,
Vitórias e também fracassos,
Da Vida que vivi...

Caminho solitário,
Meu mundo exclusivo e imaginário,
Pois ninguém mais pode caminhar por mim!

24/11/10
São Paulo - SP

****

SOLIDÃO, COMPANHEIRA....
Nara Pamplona

A alegria sempre acompanhou meus passos
Compartilhando com entusiasmo e euforia,
As dádivas da vida, a beleza do existir
A oportunidade de crescer, aprender!

Enriqueceu e abrilhantou meu coração
Colorindo meu olhar curioso e insistente
Com os variados matizes da natureza
E a beleza infinita das riquezas do universo!

Hoje, divide seu espaço com a tristeza
Não constante, mas indócil e teimosa
Permitindo a presença de pálida solidão
Que não enfraquece meus passos...

Reacende, apenas, uma saudade intermitente
De um passado pleno,feliz, e não muito distante
Mas que m'alma corajosa e destemida
Transforma em cúmplice necessária...

Rio, 23/11/2010

****

Já não há solitários passos
Clara Roque Esteves

Já não há solitários passos
Nem clandestina persistência.
A minha alma virou ninho de condor
Tu gritas de alegria
As fontes jorram,
Há esperanças florindo,
Eu não sou pura (sou só eu)
E vejo as laranjas darem mel.
Oiço a folhagem que ri
E no caminho dos meus dias,
Já não há mais passos solitários
Nem clandestina persistência.
Eu, sou EU de novo.
Não importa os invernos que passaram
(não temos que devolvê-los
Como as ondas se dão ao mar),
Hoje, já nem me interessa a hora:
Estamos vivos, aqui e agora
E desfraldamos bandeiras
No lugar de onde nunca saímos
E que ainda guarda o nosso cheiro a amora.
Enrolamos os nossos dedos
Na manta do nosso desejo
Pois não são solitários os nossos passos.
Portugal - Lisboa

****

SOLITÁRIOS PASSOS
Rogério Miranda

Na curva do tempo,
atravessei o portal
escutei os pássaros
aprendi amar,
sobrevivi a dor,
derramei lagrimas
de ausência
por um amor...

Esperei no tempo
que passou
as preces que levei
ao supremo do universo,
meditei diante minha alma
declamando os versos
de minha liberdade...

Percebi que o tempo
é a fonte do amanha
na certeza da fé
conduzindo a vida
até onde nasce
a esperança da paz...

É no tempo,
que espero a cada
nascer do sol,
Uma recordação
que me faz viajar
na lembrança
da força do seu amor...

poeta da paz

****

Caminho de Solitude
Auber Fioravante Júnior

Um castelo,... Construí!
Migrando de praia em praia,
Deixando-me fluir à flor da pele,
Quiçá de solitude!

Amigo dos ventos,
Deixei sob cada passo
Uma semente, um mistério,
Um verso versado
Entre o crepúsculo e o pôr da lua!

Diante do reflexo... O silêncio!
Pautando suas resenhas
Abrindo-me em palavras etéreas,
Um olhar do interior!

Fiel ao tempo,
Entreguei a lágrima
Minha saudade, meu destino,
Um apelo brilhante,
Comungando alma e coração!

25/11/2010
Porto Alegre - RS

****

Os passos solitários têm idades transitórias
Véra Lúcia de Campos Maggioni®
Vera&Poesia®


Os passos solitários têm idades transitórias,
Em paço sagrado de cristalina realeza,
Circundam múltiplos sentidos e histórias
Traduzindo sossego ou porte de tristeza.


Assim o sol zenital, a lua ou a noite escura
Entrelaçados às raízes dos tantos passos,
Exalando aromas mil entre os compassos,
Vão e voltam à sina em figura na criatura.


Os passos solitários têm idades transitórias
Em paço sagrado de cristalina realeza!


Véra Lúcia de Campos Maggioni®
Vera&Poesia®
Em 24 de novembro de 2010.
Direitos autorais reservados.

****
Solitários Passos .
Maria Thereza Neves


Solidão não é o vazio de gente lado a lado,
nem o mundo apinhado de janelas abertas...
É quando nos perdemos de nós mesmos
procurando em vão pela nossa alma ...

É quando ,tão sozinha, inerte
não nos encontramos por dentro ...
A alma que não vislumbra arco-íris
não tem lágrimas no fundo dos olhos ...

É quando a viagem não desenha paisagens,
não voa nos voos dos pássaros
afoga sonhos sem sentir o cair da tempestade
descrente, cai, desmorona apagando realidades ...

****


Novembro de 2010
Grupo Alma_Arte de Poesia
http://www.lulicoutinho.com

CRÉDITOS

TUBE
NIKITA
IMAGEM
SORENSEN

MÚSICA
MEMORY
ZANFIR

ARTE E FORMATAÇÃO
ANA RIDZI
 

 

 

Voltar