Ao Espelho, Nua!
Luli Coutinho
 
 
O espelho assim me revela
Em vestígios cansados de dor
Uma inércia na luta sem aquarela
A louca saudade de uma Lua de Amor!
 
Nos momentos que me sinto indefesa
Tão frágil na lembrança apagada e silente
Ouço ao longe tua voz de princesa
Vejo-te pura no turvo espelho, tão ausente!
 
No rosto da Lua flutuas eternamente
Em verdes lágrimas onde o meu se espelha
Sem saber quem está mais carente
Na plácida transparência desta ilusão 
 
Lua! Só minha, tão doce auréola nua
 Canto tua forma tão alva, serei tua!...
Leva meu pranto que a ti celebra!
Guarda meu amor na madrepérola de tuas asas
 
São Paulo - SP
09/03/11
 
 
LuliCoutinho
Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T2837986
 
 
 
 
DIANTE DO ESPELHO
Odir, de passagem
 
 
Ao espelho me furto. Ele se esconde
do que penso que sou em meu momento.
Não se mostra à saudade e nem responde
ao rosto a que me apego em pensamento.
 
Mesmo estando, me traz não sei de onde
pra me deixar distante e desatento.
Dá-me ser triste e sai, sem que me sonde,
a me mostrar vazio igual ao vento!
 
Espelho que me espelha pesadelos
e de rugas me ruste, estulto espelho
cambiante da cor dos meus cabelos!
 
Espelho que me faz tanto trebelho,
por manchas maculado, aos desmantelos,
jamais há de ser eu em seu conselho!
 
JPessoa/PB
10.03.2011
 
 
 
 
espelho da alma
Maria Thereza Neves

porta do imaginário
do ego sobre si mesmo
silêncio eternamente cúmplice
íntimo
realidade ou alucinação
certeza do aparente
incerteza do existente

mergulho em ondas
sombras de escombros
da realidade para fantasia

imagens que multiplicam
das raízes fincadas
dos momentos
histórias em memórias

faces sob máscaras
verdade-falsidade
ilusão do perigo
de passagem ao livre sonho
duplo EU
da
alma-imaginação
 
 
 
 
MEU ESPELHO...
 Theca Angel
 
O que vejo em ti, rejeito ao mirar-me
Sagas que vivi, horas plenas que perdi
Os veios do amor atingem-me e faz sentir-me
Só um pedaço da imagem que em ti refleti.
 
Vejo um rosto que hoje combalido
Apagou a imagem daquele ser destemido
Nele vê-se a alma que para o amor nasceu
E que entre áridos caminhos... a esqueceu!
 
Sombra de um coração vibrante, um dia...
E que em dolorida nostalgia se fechou
Assolado pela dor daquilo que deixou...
Desejando o retorno de suas parcas fantasias!
 
Vou vivendo desta imagem que refletes
Tentando reverter aos pensamentos a magia
Com carmim escondendo as lágrimas que verte
Resquícios de felicidade, só expressos em poesias!
 
 
 
DIANTE DO ESPELHO
Tarcísio Ribeiro Costa
 
Separa-me do meu espelho
Uma bruma espessa - talvez a verdade
Ou, quem sabe, a tristeza da fria realidade...
O tempo passa... Ficam as marcas
Incorrigíveis da idade...
 
Fico no meu silêncio, perplexo...
Será que adianta sonhar? Vejo estampado
Naquela imagem, o reflexo
Do tempo... Do meu eu passado,
De o meu longo caminhar...
 
O espelho mostra-me a realidade,
Não quero apagar os meus sonhos...
Seria covardia ter medo da verdade.
Sigo, a sonhar e acreditar no amor... Na paixão,
Por que não! Ainda tenho um coração,
Ávido para amar.
 

Brasília, (DF)
®Tarcísio Ribeiro Costa

 
 
 
 
 
 
 
Tube: Sorensen Designs
Wav: Joan's Dream - Q. Saxon
Arte e Criação: JoiceGuimarães
 
 
 
 
 
 
 

Voltar