Sou - Luli Coutinho
És? - Sávio Assad
Serei? - Pedro Valdoy
Sou - Helô Abreu


Sou teu crime.
Não, és meu suicídio.
Serei tua esperança?
Sou teu bocado,teu pecado

O pecado que te persegue.
A loucura que me torna vivo.
Estarei confuso?
Não, sou o corpo casto, por ti grita

O segredo que te dá medo, estremecimento.
Falado bem baixinho, estremeço de paixão.
Minha paixão será eterna?
Sim, tocas na cor das nossas palavras

Te faço suar de emoção.
E tenso todo dia.
Mas o dia não acabou?
Nunca acabará, sou teu beijo solto, clandestino

Arrepiar de tesão.
Loucamente, sem limites.
Fico cansado com a tua paixão.
Meu corpo te excita, por ti geme



Sou a angústia quando sentes saudade.
Explode meu coração, num vazio.
Meu corpo estremece loucamente.
Sou o doce olhar que te fulmina

Deixo-te louco, alucinado de paixão.
Ah! você sabe que sim e fica judiando de mim.
Mas a paixão continuará.
Sou a paixão que dói eternamente

Tudo isso eu sou.
Tudo isso é você, eu sei.
E juntaremos teus belos olhos.
No meu olhar que te deseja

Teu descontrole nas situações difíceis.
Não sou ninguém sem sua presença.
E eu ficarei solitário e triste.
Vislumbres em mim, o vibrar da tua sintonia...

A parte que faz parte de ti
Sou um eterno dependente.

Meu coração arde de paixão.
Sou tua eterna ilusão

Porque sentes falta.
Sinto falta.
Será falta ou paixão?
Sou teu desejo e tesão

Estou em ti.
Dentro de mim?
Teus lábios colam-se aos meus.
Sou a boca que te sacia

Sou teu verdadeiro "Eu".
Por isso te procuro.
No meio do firmamento.
Sou tua lua cheia, teu alento

Por quem morres de amor.
Apaixonado por minha outra metade.
E eu onde estou?
Sou três, quarto do teu amor

E definitivamente
Unicamente
Simplesmente.
Despedaçamente

"Tua"
"Minha"
Só a mim pertences.
Eternamente sou.


Brasil/ Lisboa/ Abril 2006

Obrigada poetas por esta parceria!
Meu carinho...Luli

 

VOLTAR