Sofrimento enriquecedor
elisasantos


Das jazidas antigas
Garimpei pedra por pedra
Opalas, esmeraldas e safiras
Do linho plantado da primavera e
Do bicho-da-seda lancei mão dos
fios
Nos teares teci panos vazados


Entremeei
fitas de renda e cetim
Risquei o sofrimento com
cores escuras
Para as lágrimas não turvarem-me a visão
A cada
lágrima caída bordei pérolas
Cultivadas em mares congelados

Dos soluços com fiapos de
veludo
Delineei flores. Nas noites insones,
fiz do sofrimento um
painel irretocável.





formatado com carinho para Elisa
Sueli
tube by Suzi Sgai

 

 

Voltar