Despertar ao Amor

LuliCoutinho

Voltar ao Sonho

Francisco Coimbra

 

 

Consagrando a tua poesia

Quero soltar a amizade

Como a minha analgesia

Tendo o gozo de a rimar

Visceral em meus poros

Libertando sensibilidade

Quando jaz me esquecia

Para a poder eu embalar

 

Encontrei-te de repente

Aqui na noite nu sentir

Acordei-me ao te olhar

Dispo o silêncio da pele

Recebo-o em doce lunar

Para te enviar ao sorrir

Magistral e ascendente

Palavras sobre o papel…

 

Mudei meu lugar ao mundo

Para lhe abraçar longe

Tendo um sentido profundo

Faz-se voo imaginação

E a fluidez sombreia em luz

Parece regressar e foge

Traz vida e assim me induz

No ar duma inspiração

 

 

E ao penetrar às entranhas

Enche-me de felicidade

O teu aconchego e manhas

Sentir como te conheço

Tomaram posse deste corpo

Da míngua à saciedade

E hoje é o flutuar dum porto

Quando poesia mereço

 

28/10/08  – 28/10/08

 

 

 

 

 

 

VOLTAR