Devaneios d'uma Quimera!/ Duas Quimeras
 
Luli Coutinho/ Francisco Coimbra

 
Um olhar que dura uma eternidade/ reflete-se como imagem em espelho
De tão profundo um mel de ternura/
escorre espesso doce grosso quente
Mais parecem dois lapidados jades/
diluídos no prazer novo nunca velho
Iluminados devaneios d'uma quimera/ outra se junta a trazer o que sente!
 
 
 
Tão cheio de saudade e ideais/ solta ais como um poeta maneirista
A espera do outono que vai chegar/ exagerando até mais já não querer
Trazendo um crepúsculo acolhedor/ de cores acrílicas e gosto modernista
Enlaçado aos ventos colher folhas pelo ar/ captando ao Outono um colorido ser
 
 
 
Onde a vida dos sonhos se sustenta/ na mudança da estação mais requintada
Translúcido entra no meu coração a vagar/ de gostos suaves em sumarentos tons
Fechando os olhos, abro os braços e espero/ onde aconchego dum chamego é dada
No corpo o apelo que a saudade seja perto/ nota certa no timbre próprio aos sons
 
 
 
Tempos dourados, quentes alaranjados/ a linguagem viaja no corpo seu sangue
Mágicas luzes por todos os lados/ aquecendo da magia o magicar poético
Ah, o meu amor espera!/ onde dueto se aproxima e vem profético
Um outono de neblinas quisera!/ filtrado ao ar espessuras de ser langue…
 
26/03/11
24/08/11
São Paulo – SP
Açores – PORTUGAL
 
 
 
 
 

Este dueto me foi presenteado a  partir da postagem do meu poema no site de Ivete Tayar,

  quando da visita do poeta Francisco Coimbra ao livro de visitas para me cumprimentar.

Beijo este carinho com emoção e honra.

LuliCoutinho

 

 

Imagem Jpg casal

 

 

 

VOLTAR