Noite de Agosto - Com todo gosto...
LuliCoutinho &
FranciscoCoimbra

Dois corpos que embalam
uma canção feita de amor
Ouvindo um bolero bailam
a dança nos seus corpos
Sensações de um forte desejo
num prazer feito de sabor
Clama-os a um doce beijo.

Corpos colados em harmonia
a sensação transcendente
Envoltos por doce magia
as palavras bailam Silêncio
Eternizam o momento do amor
deixando pensar se sente
Rodeados de pétalas em cor.

O vinho paira em bouquet no ar!
uma ébria sensação feliz
O amor na noite orvalhada
aquece coração e estômago
Amantes sem fim nem morte
é o dizer do prazer que diz
Ditosos à natureza e sorte.

Ondas de dança e ardor
vivemos na música somos
Recebem fios de luz e calor
viajamos até ao ser âmago
Ondas de um corpo em torpor
unidos na fruta como gomos
Concedem à delícia do amor.

Vejo-o bailar em meu corpo
penetrando espaço-fusão
Chego a sentir o teu gosto
nossas carícias são em cio
Devaneio ser a dona do rosto
lágrima tomba em combustão
Do bolero naquela noite de agosto.



Noite de Agosto
LuliCoutinho

Dois corpos que embalam
Ouvindo um bolero bailam
Sensações de um forte desejo
Clama-os a um doce beijo.

Corpos colados em harmonia
Envoltos por doce magia
Eternizam o momento do amor
Rodeados de pétalas em cor.

O vinho paira em bouquet no ar!
O amor na noite orvalhada
Amantes sem fim nem morte
Ditosos à natureza e sorte.

Ondas de dança e ardor
Recebem fios de luz e calor
Ondas de um corpo em torpor
Concedem à delícia do amor.

Vejo-o bailar em meu corpo
Chego a sentir o teu gosto
Devaneio ser a dona do rosto
Do bolero naquela noite de agosto.

17/10/06

Com todo o gosto...
Francisco Coimbra

uma canção feita de amor
a dança nos seus corpos
num prazer feito de sabor

a sensação transcendente
as palavras bailam Silêncio
deixando pensar se sente

uma ébria sensação feliz
aquece coração e estômago
é o dizer do prazer que diz

vivemos na música somos
viajamos até ao ser âmago
unidos na fruta como gomos

penetrando espaço-fusão
nossas carícias são em cio
lágrima tomba em combustão

imaginação fértil no ar...
não sejamos nunca parcos
já que deixamos este bailar...

19/10/06



Arte e Formatação: Salete
Wav: Luiz Miguel - Jurame

 

Voltar