Nua
LuliCoutinho

Entrego-me a ti
Com minh’alma pura
Lapidada e madura.

Entrego-me nua
Uns poucos versos obscura
Mas meu amor é só ternura.

Entrego-me em tela
Com delicada pintura
Nua, mas nunca impura.

Em todos os versos, tua!
A um amor que sempre cri
E só os ofereço a ti!
Nua.

13/09/07



Nua/Nu
LuliCoutinho/
FranciscoCoimbra

Entrego-me a ti/
sou teu através da pele
Com minh’alma pura/
como se por osmose
Lapidada e madura/
te bebesse em versos

Entrego-me nua/
toco poesia silencioso
Uns poucos versos obscura/
procuro escutar táctil
Mas meu amor é só ternura/
a ternura que me dás

Entrego-me em tela/
como presença sensorial
Com delicada pintura/
de colorido tão intenso
Nua, mas nunca impura/
sou pureza em reza...

Em todos os versos, tua!/
dizendo numa oração
A um amor que sempre cri/
nus segredos da vida:
E só os ofereço a ti!/
batimento compassado

Nua/
nu


13/09/07 / 14/09/07



Mim
acredito que a poesia
também se aprende
como tudo na vida

gosto de aprender
contigo a ler-te

esta arte de ser.!.
Assim


 

Arte e Formatação - Salete

 

Voltar