O Meu Poeta
LuliCoutinho
A minha poetisa
Francisco Coimbra


Meu poeta é assim
minha poetisa é musa
Chega sempre com o olhar doce
e sua voz doce como mel
Mostra suas cores, sua voz!
música dum silêncio acorda!
Transforma pardo em carmins.

Ele aquece meu coração
com sua líquida voz
Transborda-me de emoção
vem a correr como rio
Com falas de formosura
sua poesia é deleite meu!
Transforma tudo em ternura.

Meu poeta é assim
minha poetisa é musa
Com ares de diferente
num incomparável canto
Quase sempre ausente
com sua presença chega!...
Mas sei o que ele sente.
com sua voz líquida

Meu poeta é assim
canta em meu sangue
É um poço de segredos
na nascente desta sede
Às vezes mostra seus medos
fazendo brotar segredos...
Em lindos versos de aedo.

Meu poeta é assim
minha poetisa é musa
Guardo as emoções do agora
toda incomparável hora
Antes que chegue o amanhã
faz acordar a cor ao dar.!.
E eu sinta que já foi embora.

25/10/06 - 06/01/07



O Meu Poeta
LuliCoutinho

Meu poeta é assim
Chega sempre com o olhar doce
Mostra suas cores, sua voz!
Transforma pardo em carmins.

Ele aquece meu coração
Transborda-me de emoção
Com falas de formosura
Transforma tudo em ternura.

Meu poeta é assim
Com ares de diferente
Quase sempre ausente
Mas sei o que ele sente.

Meu poeta é assim
É um poço de segredos
Às vezes mostra seus medos
Em lindos versos de aedo.

Meu poeta é assim
Guardo as emoções do agora
Antes que chegue o amanhã
E eu sinta que já foi embora.



A minha poetisa
Francisco Coimbra

minha poetisa é musa
e sua voz doce como mel
música dum silêncio acorda!

com sua líquida voz
vem a correr como rio
sua poesia é deleite meu!

minha poetisa é musa
num incomparável canto
como sua presença chega!...

com sua voz líquida
canta em meu sangue
na nascente desta sede
fazendo brotar segredos...

minha poetisa é musa
toda incomparável hora
faz acordar a cor ao dar .!.

19/01/07

Arte e Formatação: Salete

 

Voltar