Minha Alma

Que minha alma possa ser leve
E as tristezas sejam breves
Que meu coração se rubra de amor
Não um cristal fosco embaçado de dor

Que eu possa sentir a nobreza das flores
Inebriar-me em seus olores
Que a natureza densa em beleza
Entrelace-me entre altezas

Que minha alma se desprenda
E eu possa atingir estrelas nuas
Observar na lua a poesia pura
Entre céus azuis desenhados véus de luz

Que eu perceba na alquimia da vida
As lágrimas rolarem de emoção
Nos belos e cristalinos dias
Que nem sempre de tristeza são


04/09/10
São Paulo – SP
 
 

LuliCoutinho
 
 
Publicado no Recanto das Letras em 04/09/2010
Código do texto: T2478066
 
 
Créditos:
Tutorial Nara Pamplona
Tube AnnaBr
 
 
 
 
 
 
 

 

 

 Voltar