Outono
LuliCoutinho

 

 
 
Oh Outono que encerra
Meu doce canto de espera
Meu olhar a flor que era
Hoje folhas secas de hera.

 

Noites azuis suspiradas
Memória do tempo de amada
Trazes de volta meus sonhos
Brilhe meus olhos tristonhos.

 

Traz-me os pássaros de luz
Os braços alados de carícia
Um rosto que por si se ilumina
Aos encantos à cantiga de uma vida.

 


Doce Luli,
hás de te perguntar,
porque diante de tantos poemas
Rivkah, no meu aniversário, pegou este?
Pela beleza, amiga minha!
Pelas imagens, por sua leveza e quem o lê
tentando saber o que quis contar o poeta, te vê!
Não precisa de fotos, descrições de amigos,
aqui está a pessoa suave a quem aprendi amar!
 
Que este Ano te seja de Amor, Alegrias,
Realizações e muitas, muitas
FELICIDADES!
 
Rivkah 

 
 
 

 

Voltar