Contemplo-o

Acordar eu preciso!
Uma voz chama meu nome,
Usa um codinome
Tomou conta do meu sonho.
Beijou meus cabelos,
Enrolou-se em novelos...
Nos nós, provou do ciúme,
Sentiu meu perfume.
Trouxe-me margaridas,
Minhas flores preferidas
E chamou-as de queridas!
Na espera do frescor da manhã,
Contemplo-o em meu sonho.
A esperança da doce emoção,
Desvenda-se n'alva paixão.


LuliCoutinho
São Paulo - SP 

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T738921
 
 

Voltar