Desmedida Solidão
 
 
LuliCoutinho
 
 
Vejo-te! Nebulosa noite
Numa solitária angústia
Que se apodera em açoites
Sem presença, sem sombras,
Num abandono delirante
Que maltrata meu chão.
 
Toma conta do meu corpo
Com impulsos de cerrar-se em ostras
Na expectativa de agarrar o momento
Poder me libertar me guiar à calmaria
Das areias finas a beira do mar lento
Numa simetria de luz e esplendor.
 
E a silenciosa escuridão insiste
Crava espinhos no meu coração
Numa inércia de competência
Em colorir meus pensamentos,
Girando sobre mim em riste
E chegar a nenhuma solução.
 
06/12/07
 
 
LuliCoutinho
 
 
Publicado no Recanto das Letras em 06/12/2007
 
Código do texto: T767247
 
 
Créditos
 
Tutorial Denise Worisch
 
Tube- Nara Pamplona
 
Música- Afternoon
 
 
 
 
 
 
VOLTAR