Docemente à Tela
 
Lulicoutinho

Ela pertence a outro reino dantes
Quisera ser eterna aqui, como antes!
Com teu doce olhar iluminando o ar
Sussurrante poetisa despida te amar
 
Senhora das magias, das artes de ti
Cantando versos de amor e salvas
Flor da memória suave, os beijos
Trazia magia em teus dedos
 
Redesenhá-la docemente à tela
Perpetuá-la aos sonetos de Florbela
Com cheiro de gozo e jasmim,
Exalando primaveras da janela
 
Num corpo de anjo, meio casto, puro cetim
Tão leve e sereno aos suspiros de ti
Segredos de menina, sutil querubim
Pura semente ao teu amor e jardim
 
Renová-la a um vergel colorido
Acariciá-la n’um momento transido
Entre laços e em teus abraços
Revivê-la aos teus pés sorrindo
 
14/05/10
São Paulo – SP
Publicado no Recanto das Letras em 31/05/2010
Código do texto: T2291471
 
 
 
 
 
 
 
Créditos
Espelho d'água ©Denise Worisch
Tube ©Denise Worisch
Imagem da net sem créditos,
tendo conhecimento do mesmo darei os devidos.
Música  A-ha -  Never a forever thing
 
 
 
 
 
 
 
 
 
VOLTAR