Pobre Coração!
 
LuliCoutinho
 
Ressoa um som lúgubre
Parece vir do coração
Esse pobre que não tem jeito
Insiste em apertar meu peito.
 
Solitário ante o surdo gemido
Enfeita-se das flores pálidas
Aconchega-se em muros sombrios
Como um pássaro na escuridão.
 
Um amor outrora interrompido
Machucou demais sua ilusão
Hoje uma redoma de vidro
É sua morada e redenção.
 
Tira-o das cinzas, oh, Fênix!
Leva-o a voar contigo, liberta-o!
Traz-lhe o ouro da sua plumagem
Faz-lhe ressurgir com sua coragem.
 
 
 
19/11/07
 
Reeditado em 19/11/2007
Código do texto: T743101
 
 
 

 

Tube Denise Worisch

Jpg cidade

 

 

VOLTAR