Asas Cortadas

LuliCoutinho

 

Deitado em meu sono

Um anjo de asas cortadas

Inseguro e nada maduro

Solta-se leve a ventura.

 

Plana o corpo no amor

Explora a boca voeja o cantor

Afoga-se nesse ar continente

Teus e meus braços cedentes.

 

Almas se doam ao torno de si

Faz-se calor, deliram, sorri

E por instantes calmamente

Entregam-se à noite silente.

 

Voláteis ao sonho de amar

Sono lento doces momentos

Sobrevoam traços e acalantos

Fluidos dos nossos abraços.

 

 

15.01.2008

 

 

 

Arte e Formatação: Elisa Santos

 

Voltar