Nó da Saudade

                   Maria Luiza Marinho
 
Estive de mente fechada
não deixando meu sentir
aflorar à consciência
pois que o desejo acende
e a sua falta doi
Me pergunto o que fazer
dessa imensa saudade
que ocupa meu sonhar
importuna minha alma
faz bater meu coração
Reconheço a solidão
a cada passo que dou
onde só eu caminho
por atalhos destruídos
que sempre me levam ao nada
Vou embrulhar lembranças
com papel de fantasia
amarrar com nó de lágrimas
dar um laço no sofrer
e jogar para o nunca mais


Arte e Formatação: Mônica Neves

Voltar