CREPÚSCULO
Maria Thereza Neves

 

 

Ardente lua de boca vermelha
pousa aflita na espera salgada
perfurando janelas e telhas
saciando a terra desmaiada .

Aromas acobertam o silêncio
flutuam nas nuvens ,quedam macios
enquanto luzes acendem pavios
estrelas mergulham desafios.

Vaga a saudade no crepúsculo
em versos de asas dolentes ,
perde rédeas e cores nos horizontes .

Acelerado coração da noite
com carícias vaporosas
arrasta pálidas sedas amorosas.

22/08/07

Arte Silvia Fillipo
 

Voltar