"UM DIA, QUEM SABE?"
Nara Pamplona


Os dias transcorrem lentamente,
A saudade que machuca meu coração persiste,
A chaga aberta em minha alma não cicatriza,
Sigo, mãos dadas, com a solidão...

Meu caminho, antes florido e iluminado ,
Transformou-se em trilhas sinuosas e pedregoso,
Tornando meu percurso árido e nebuloso.
Sem o brilho de sua presença marcante...

Mas, quem sabe um dia...
A esperança que acalenta meus sonhos,
A força criada por nossa bela estória,
Permita nosso reencontro em pairagens etéreas...

E meu sorriso aflorará...
Meu olhos recuperarão o viço perdido,
Minhas lágrimas secarão,
E poderei gritar...Sou feliz novamente!


Arte e Formatação: ElisaSantos

 

Voltar