CHUVA DE LUZES

Sandra Ravanini



Dedicado à: Lis, Amanda, Sthaphanie e Maíte



No quadro dessa história, elas brincavam com suas tranças,

corriam matas verdejantes e alçavam vôo, tal pássaro no ar,

no quintal de infância às bailarinas atraíam suaves nuanças,

já o vento, fazia corte ao véu da noiva em seu caudal estelar.




Nas constelações, essas crianças bebiam de uma outra alquimia,

em velozes carrosséis atemporais, afrontavam à rosa-dos-ventos,

por que do cinza luziam cores, quando a cor já não mais havia;

iam às belas sereias margeando toda praia com suave acalanto.




Ah...! Pudera, eu e elas, dissolver nas águas do degelo e decifrar,

o que de mim quisera dar, se o tímido sorriso sem mais recesso,

fossem gotas caindo nas chuvas de luzes em mil sonhos a remar,

num pôr alaranjado e nas cadentes me deitando em retrocesso.




Pelo oceano desse peito vou de encontro ao avanço d’outro rio,

faz-me o sal romper os leitos se trazem a doce têmpera aos veios,

e na mistura consagrada dessas águas-bravas... beijos ao desafio,

enquanto à fresca dos meios vai secando as cascatas dos anseios.




03/05/2006
 


http://www.recantodasletras.com.br/autores/deltadevenus
http://www.varaldaliteratura.ale.nom.br/
http://www.poemar.com/DELTADEVENUS.htm
http://www.usinadaspalavras.com/index.html?p=textos_autor&aut_id=794


Imagens coletadas na net.
Wav: Flauta Pam - A time for us
 

Voltar