Saudades
Antonio Augusto Bandeira
 
 
 
 
"Chuva torrente e fria, embacia velhas janelas..." Assim pensava, pequeno, murmurando em silencia na  janela do andar térreo da casa da minha avó na antiga     Rua Esperança.
 
O guri tímido, desajeitado que ficava absorvidos nos e livros e no silêncio de uma cadeira.
 
Tia Nilza, sobrinha da minha avó, quem me ensinou a ler a primeira palavra"ovo".. A segunda foi "uva". o Professor Agostinho, o Jornal " Saci", mimeografado  com uma extensa tiragem de 20 exemplares...
 
O Surica meu amigo de jogar botão, o Lauro,  no Instituto La-Fayette, no Rio de Janeiro, o Djalma que possuía uma perna de madeira
 
A Faculdade de Direito, a de Filosofia, as aulas de Lógica que não eram lógicas, os amigos que se foram,
 
O Guido Ferla, amizade começada no CPOR,  e depois companheiro de muitas andanças por este mundo  a fora..
 
Tudo isto embaralha meus pensamentos, traz uma sensação dolorida, num farfalhar de emoções.
 
Uma palavra fica martelando minha cabeça, chorando no meu coração.
 
Saudades.
 
 
 
 
 
 
 
Tubes: Ana Ridzi/Guismo
Wav: Nicolas de Angelis - Volare
Tutorial: Hilda Rosa
Arte e Formatação: JoiceGuimarães