GIRA MUNDO!
Anna Peralva
 
 
 
Às vezes fico aqui pensando:
- como seriam as cores do mundo
sem sonhos e despido de poesia?
Seria ruína de um templo vazio
sem ninguém aos céus orando,
e a fé? - Com certeza se perderia!
E num tempo já vencido e tardio
com tanto olhar ardiloso e imundo
seria o mundo, um peregrino vadio?
 
 
 
Ah! Meu olhar sonhador seria cego
como um porão velho e escuro...
Em agonia resguardo e não nego
o amor que borbulha em mim
e ainda flui, de um jeito puro
e sem ele, o meu mundo teria fim!
 
 
 
Mundo, mundo! Que a estesia não cale,
nem o homem traga o sentir surdo
negando que a emoção flua e fale
que o silêncio da alma é um absurdo!
 
 
 
Coração é terra fecunda quando adubado
e a semente-luz é presente de Deus...
Não me pertence este mundo tão calado,
onde a incerteza balouça canções de adeus!
 
 
 
Gira mundo! Com a argila da vida molde esperanças,
não fique mudo! Meus versos escusam um mundo ateu!
Gira a fonte de alquimia, renasça pleno... Ou mudo eu!