Alma de minh'alma
Mercília Rodrigues

Traçamos os planos de muitas vidas,
Nem todas as metas foram vencidas,
Mas tua terra árida... o coração.
Cobriu os caminhos de pura emoção.

Nas noites silentes de algum querer,
Levava a esperança de um bom viver.
 Somente os sonhos que oferecias?
 Solidão! Abraçava fios de alegrias.

Doia-lhe a ingratidão da hipocrisia...
Nos muitos versos dos quais escrevia,
 Quadros pintados de tênue entender.

Ofertou a esperança de não sofrer...
Queria, com ela, amenizar a dor,
Era mendigo de um puro amor!
 
 
 
 
 
Arte Final: Lêda Yara